Despejos na Rua do Livramento

Os absurdos continuam.

Famílias organizadas na Rua do Livramento, 186 e 192, com processo judicial em andamento no Núcleo de Terras e Habitação da Defensoria Pública, tiveram suas casas destruídas através de um mandato judicial, sem aviso prévio, justificado pela negociação feita com algumas famílias que já não estavam mais ocupando a área.
Muitas pessoas não se encontravam em suas casas no momento do despejo (funcionários da prefeitura chegaram com máquinas e executaram a demolição das casas). A Polícia Militar estava presente e agiu junto com um oficial de justiça de forma truculenta, impedindo qualquer possibilidade de resistência. Em pleno final de semana, próximo do recesso do Fórum, no final do ano, a prefeitura e CEDURP agem de forma desumana.

Esta Secretaria Municipal de Habitação não tem nenhum comprometimento com o direito à moradia dos moradores da área portuária. Em plena discussão do Plano Municipal de Habitação, esta prefeitura, sem escrúpulos, aumenta o déficit habitacional da cidade, violando direitos humanos sem nenhum constrangimento. Estas famílias, que hoje estão sem casa, são famílias que estavam mobilizadas desde o início do ano e contavam com a justiça, com a possibilidade de fazer parte deste projeto Porto Maravilha. Maravilha para quem, Jorge Bittar?

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




FCP no Twitter

Flickr FCP

Categorias

Estatísticas do blog

  • 38,031 Visualizações

%d blogueiros gostam disto: