Posts Tagged 'memória'

Minha carne é de carnaval; Meu coração é igual!

Porque Carnaval é História, segue recado do Escravos da Mauá.

Escravos da Mauá 2013______________________________________

Alô cabrochas, alô rapaziada!

Atenção, muita atenção: na manhã deste domingo (3/02) esperamos vocês para o fabuloso desfile dos Escravos da Mauá – certamente o mais lindo da nossa história!

Pela primeira vez em nossos 21 CARNAVAIS, nosso trajeto se inverterá: em vez de irmos na direção da Praça Mauá e Av. Rio Branco, vamos entrar pela Sacadura Cabral, percorrendo por dentro a região que já foi conhecida como a PEQUENA AFRICA do Rio de Janeiro. Vamos em direção aos TESOUROS DA MAUÁ, título do samba 2013.

E o que são os tesouros de um lugar senão sua história, seus personagens e sua cultura popular? Pois então… além de preciosidades como a Pedra do Sal, o Cais do Valongo, e as Igrejas da Saúde e de Nossa Senhora da Prainha, o desfile dos Escravos promoverá também muitos encontros ao longo do percurso, destacando pessoas, grupos e projetos que enchem de vida o dia-a-dia da região. Vamos lá:

– pra começar, durante a concentração do bloco no Largo da Prainha (10 horas), a criançada da Providência descerá o morro para uma breve apresentação do AMARELO PROVIDENCIAL, bloco infantil que o Escravos está apadrinhando e que reúne a garotada que durante o ano participa dos saraus literários e oficinas da CASA AMARELA, dirigida pelo pessoal do FAVELARTE.

– quando, ao MEIO-DIA, os fogos espocarem no Morro da Conceição e o DESFILE de fato começar, a primeira surpresa será a confraternização com integrantes do AFOXÉ FILHOS DE GANDHI, na esquina com a Pedra do Sal, espaço ritual e monumento natural da cultura negra e da nossa cidade. Nesse momento, a  comissão de frente do bloco, composta por cerca de trinta artistas de rua em PERNAS DE PAU formados pela CIA DE MYSTERIOS E NOVIDADES, escola de teatro de rua com sede na Gamboa,  fará uma evolução homenageando a CULTURA NEGRA e os BALUARTES DO SAMBA.

Na esquina seguinte, quando o desfile passar entre o CAIS DA IMPERATRIZ e o antigo MERCADO DE ESCRAVOS DO VALONGO (atual rua Camerino), a comissão de frente dos Escravos (nas pernas de pau e figurinos produzidos nas oficinas pré-carnavalescas da Cia de Mysterios e Novidades) encenará o hipotético encontro da corte portuguesa  com os reis africanos,  evocando a mistura de influências e tradições que formou o nosso carnaval.

Um pouco mais adiante, no local onde habitualmente se concentra o tradicional bloco da Providência CORAÇÃO DAS MENINAS, estarão, este e outros blocos da região portuária, com seus estandartes desfraldados, em uma homenagem às pessoas e aos grupos que movimentam o carnaval da região portuária nos dias atuais,  como o PINTO SARADO, o ESCORREGA MAS NÃO CAI, o ALEGRIA PORTUÁRIA, o ELES QUE DIGAM, o OBA,  a BANDA DA CONCEIÇÃO, o FILHOS DE TALMA (que agora ressurge), entre outros.

Ao chegar na PRAÇA da HARMONIA, seremos recebidos pelo CORDÃO DO PRATA PRETA, com seu estandarte e o bonecão que representa o Prata Preta, líder da Revolta da vacina, que teve suas barricadas exatamente naquela praça. Será também o momento do desfile homenagear alguns dos velhos RANCHOS e CORDÕES que marcaram a história da região portuária na primeira metade do século passado. Partindo do CORETO da praça se integrarão ao desfile os estandartes que homenageiam o Rei de Ouro, o Recreio das Flores, o Repentinos do Brasil,  o Pega o Lenço e Vai!,  o Amantes da Saúde,  o Gualemadas,  o Crocodilos do Barroso,  o Harmonia,  o Favela dos meus Amores,  o Fique Firme na Favela, o Tudo é Preto e o Teimosos da Gamboa,  além dos que,  vindo também de muito tempo atrás,  ainda estão por aqui:  como o já mencionado CORAÇÃO DAS MENINAS, o INDEPENDENTES DO MORRO DO PINTO, o FALA MEU LOURO (que também agora ressurge) e a VIZINHA FALADEIRA, que seguem fazendo a alegria da região como nos velhos carnavais.

Saindo da Praça, e tendo ao fundo os NAVIOS ancorados no porto, citados na letra do samba, será a hora do bloco confraternizar com os TRABALHADORES da região portuária.  A sede do SINDICATO DOS ESTIVADORES estará enfeitada para saudar a passagem do Escravos que, por seu turno, saudará os portuários com a evolução de sua comissão de frente marcada pela presença de MARINHEIROS em pernas de pau,  pela passagem de bateria com chapéus de marinheiro e por referências à histórica presença de João Cândido, o almirante negro. ESTE SERÁ UM MOMENTO MUITO ESPECIAL DO DESFILE, UMA VEZ QUE ALI ESTARÁ, EM PESSOA, SEU CANDINHO, O FILHO DE JOÃO CANDIDO, o “ALMIRANTE NEGRO”, LÍDER DA REVOLTA DA CHIBATA. NESTE MOMENTO, PELA PRIMEIRA VEZ EM SUA HISTÓRIA, O BLOCO VAI INTERROMPER O SEU DESFILE E, EM UMA MERECIDA HOMENAGEM A JOÃO CANDIDO, CANTAREMOS TODOS JUNTOS o “MESTRE-SALA DOS MARES”, DE JOÃO BOSCO E ALDIR BLANC. Junto a todos os trabalhadores do porto, os Escravos homenageiam com saudade, também, o querido CLAUDIO CAMUNGUELO, nosso eterno baluarte.

Iniciando o percurso de volta, já na Avenida Venezuela, mais um encontro inesperado. No lado esquerdo da pista o pessoal do GALPÃO DAS ARTES – ESPAÇO GEPETO,  sediado ali há 25 anos desenvolvendo cenografia para teatro,  trará para a rua um pouquinho do seu trabalho.

Mais à frente, na altura do Cais da Imperatriz haverá BANHO DE CARRO-PIPA (em dois momentos, ambos na Barão de Tefé: o primeiro ao cruzar a Sacadura, o segundo ao cruzar Av. Venezuela) preparando os passistas para a reta final do desfile quando o bloco será saudado em grande estilo pelo Instituto Nacional de Tecnologia, o INT, instituição de 90 anos de idade, onde em 1992 nasceu o bloco Escravos da Mauá.  O INT  promete inundar a avenida com BALÕES E PAPEIS PICADOS vindos do céu para brindar a passagem do bloco pela frente de sua sede.

Por fim,  ao dobrar na Praça Mauá, os Escravos da Mauá se despedirão com uma última homenagem da Comissão de Frente às CANTORAS da velha RADIO NACIONAL, encerrando em seguida o desfile pela sua passarela tradicional, a rua Sacadura Cabral, que originalmente marcava o litoral da Saúde e da Gamboa. Passaremos pelo costado do Morro da Conceição, e pela Igreja de São Francisco da Prainha, até voltarmos ao ponto de partida.

Uma última dica:  a rapaziada formada na SPETACULU, escola de arte e tecnologia sediada no Santo Cristo, também estará conosco no desfile realizando performances incidentais.  É deles também a autoria dos brindes que serão distribuídos para a comunidade saudando de forma bem humorada os tesouros da área portuária.

Pra terminar:

– o samba TESOUROS DA MAUÁ é de autoria da Jovem Velha Guarda dos Escravos da Mauá: Tiago Prata, Miguel Costa, Miguel Diniz e João Costa.

– a camiseta 2013, vencedora do concurso de camiseta, e que mostra o desenho original do litoral da região portuária, com suas enseadas e pequenos atracadouros, é de autoria da cabrocha Monica Martha. A camiseta está à venda no Botafogo Praia Shopping e no Shopping Nova América. E também na concentração para o desfile, no Largo de São Francisco da Prainha. Mas, atenção: com ou sem camiseta se brinca nos Escravos da Mauá. Se quiser improvisar sua fantasia, nossas cores são o azul e o amarelo.

– já estão a postos as porta-bandeiras Branca e Izair, e o nosso querido mestre-sala Alexandre, ajudado também pelo Fernando Braga.

– o mesmo também se pode dizer de nossa SUPER BATERIA, esse ano com 100 peças, liderada pelo MESTRE PENHA e enfeitada pela fabulosa rainha MICHELLE.

– pra que o samba se espalhe por toda a caminhada, teremos TRÊS (3!) carros de som: um pequeno na frente, o principal, e outro de igual porte retransmitindo.

– ao final do desfile, teremos o bloco dos CATADORES de latas, iniciativa da SEBASTIANA, a Liga dos Blocos da Zona Sul, Centro e Santa Teresa, da qual fazemos parte.

– pra aquecer os tamborins para o desfile… na sexta-feira (1/2) tem o BAILE À FANTASIA DA SEBASTIANA! Pra aquecer mais ainda… no sábado à tardinha estaremos no desfile do PINTO SARADO, com concentração na rua Sara, subida para o Morro do Pinto.

Obrigado à RIOTUR pelo apoio à mudança do trajeto!

E, principalmente, obrigado a todas as pessoas, grupos, projetos e amigos que, com suas participações especialíssimas, nos ajudarão a fazer O MAIS BONITO DESFILE DE TODA A HISTÓRIA DOS ESCRAVOS DA MAUÁ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Obrigada cabrochas, obrigada rapaziada dos Escravos da Mauá!

Até domingo, com muita água e protetor solar!

Beijos dos Escravos da Mauá

Trajeto resumido: Largo de S.F. da Prainha – Sacadura Cabral – Praça da Harmonia – Av. Venezuela – Praça Mauá – Sacadura Cabral – Prainha .

Lugares para ver e conhecer: 1) Largo da Prainha, 2) Pedra do Sal, 3) Jardim do Valongo, 4) Cais da Imperatriz (cais do Valongo), 5) Sede do Coração das Meninas, 6) Sede da Cia de Mysterios e Novidades, 7) Cemitério dos Pretos Novos, 8) Praça da Harmonia, 9) Sede do Cordão do Prata Preta, 10) Sede do Sindicato dos Estivadores, 11) Praça Mauá, 12) Mosteiro de São Bento, 13) Igreja de São Francisco da Prainha

Fórum Comunitário do Porto

“Uma casa flutuante?”

Veja o documentário Casas Marcadas!

Direção: Adriana Barradas, Alessandra Schimite, Ana Clara Chequetti, Carlos R. S. Moreira (Beto), Éthel Oliveira e Juliette Lizeray.

 

Mais informações em casas marcadas brasil


FCP no Twitter

Flickr FCP

Categorias

Estatísticas do blog

  • 38,123 Visualizações

%d blogueiros gostam disto: